Por Alexandre Rocha

Com muita dedicação e até mesmo uma boa dose de sacrifício, você abriu uma empresa e conseguiu sustentá-la além do tempo de vida estimado no cenário nacional, mas, depois de atingir um determinado nível (de acordo com seu grau de consciência) surgiram alguns questionamentos sobre o próximo passo necessário para continuar lutando no mercado.

Quem se identifica com o cenário anterior tem ao menos três razões para comemorar, a primeira delas é a consciência de que é necessário seguir trabalhando (além do feijão-com-arroz) para estender o tempo de vida do negócio, motivo que está diretamente relacionado a sobrevivência em um ambiente em que novos negócios geralmente não duram o suficiente para “envelhecer”. A terceira razão reside no fato de que você largou na frente e já ultrapassou uma das barreiras a ser vencida por todas as 365 empresas abertas no país a cada hora[1].

Ao abordar um tema complexo como a sobrevivência, segurança e recursos surgem como variáveis de extrema importância, afinal, é preciso que sejamos capazes de projetar o futuro com alguma margem de previsibilidade (segurança) ao mesmo tempo em que dispomos de fontes confiáveis de energia (recursos) para sustentar a existência.

Nos negócios, a extração/obtenção dos recursos está intimamente relacionada à estratégia utilizada pelo gestor, exploit ou explore.

Considerando o sucesso na quebra da barreira temporal, poderíamos avaliar que seu negócio é de certo modo bem-sucedido na estratégia exploit, ou extração de recursos de uma fonte conhecida, mas que tende a se exaurir em algum momento futuro, além da possibilidade de sofrer a pressão de novos entrantes, por exemplo.

Para que você possa ir além, minimizando os riscos (não há como eliminá-los!) de um futuro sem recursos, torna-se indispensável valer-se da estratégia explore, buscando novos territórios, novas fontes úteis para a extração de recursos extras ou até mesmo para a substituição de fontes consumidas à exaustão.

A poderosa combinação das estratégias apresenta um alto potencial de influência tanto na sobrevivência de um negócio, quanto em seu crescimento, formando uma dupla linha de crescimento, em que as fontes atuam como uma maneira de rebalanceamento dos recursos utilizados para viabilizar o negócio e acumular riqueza.

[1] https://www.bnews.com.br/noticias/economia/economia-e-mercado/249238,a-cada-hora-365-novas-empresas-sao-abertas-no-brasil.html